Três brasileiros nas quartas de final

HUNTINGTON BEACH, UNITED STATES - AUGUST 2: Adriano de Souza of Brazil advances to Round 5 of the 2019 VANS US Open of Surfing after placing second in Heat 7 of Round 4 at Huntington Beach on August 2, 2019 in CA, USA. (Photo by Kenny Morris/WSL via Getty Images)
Adriano de Souza (Foto: Kenny Morris / WSL via Getty Images)

Três brasileiros nas quartas de final do US Open of Surfing

By João Carvalho 

O campeão mundial Adriano de Souza, o também paulista Alex Ribeiro e o catarinense Yago Dora, se classificaram para as quartas de final do tradicional Vans US Open of Surfing, que vão abrir o domingo decisivo do segundo QS 10000 do ano no WSL Qualifying Series. Eles passaram pelas duas fases disputadas na sexta-feira de ondas de 2-3 pés em Huntington Beach, com duas vagas confirmadas nos duelos brasileiros que abriram e fecharam as oitavas de final. Alex ganhou a primeira do capixaba Krystian Kymerson e Mineirinho venceu o catarinense Tomas Hermes no último minuto da bateria que fechou a sexta-feira na Califórnia.

Foi a mais emocionante do dia. Tomas foi finalista do US Open na primeira vitória do bicampeonato do japonês Kanoa Igarashi em 2017. Ele cometeu um erro logo no início da bateria e foi penalizado com uma interferência, perdendo metade da segunda nota computada. Adriano de Souza então liderou tranquilo com duas notas na casa dos 5 pontos, mas o catarinense correu atrás e chegou a assumir a ponta nos minutos finais.

Publicidade

Manobrando forte e usando os aéreos, Tomas conseguiu notas 7,83 e 7,00 em duas ondas seguidas, com o 7,00 valendo 3,50 no resultado. Mesmo assim, ultrapassava o campeão mundial por 11,33 a 11,17 pontos. Só que Mineirinho ainda achou uma direita no minuto final e arriscou tudo, acertando três manobras boas que valeram 5,77 e a vitória por 11,67 a 11,33. Ele agora vai enfrentar o vice-campeão de 2018 em Huntington Beach, o americano Griffin Colapinto, que também conseguiu a classificação nos últimos minutos da bateria toda liderada pelo pernambucano Luel Felipe. A virada para 13,13 a 11,16 foi com nota 7,83.

Tomas Hermes (Foto: Kenny Morris / WSL via Getty Images)

Já o primeiro confronto brasileiro das oitavas de final, foi marcado por longas calmarias, com poucas ondas boas entrando na bateria. Alex Ribeiro começou bem com 6,67 e quando Krystian Kymerson conseguiu uma boa também que valeu 6,87, Alex atacou forte uma esquerda até quase o píer de Huntington Beach para se manter na frente com 4,90. Depois disso, nada mais relevante aconteceu e a vitória de Alex Ribeiro foi confirmada por 11,57 a 9,97 pontos. Com a classificação, ele assumiu o terceiro lugar no ranking que até ali, ainda era liderado pelo potiguar Jadson André, que não passou da sua estreia na Califórnia.

MUDANÇAS NO G-10 – O oponente de Alex Ribeiro na briga pela primeira vaga nas semifinais na bateria que abre o domingo decisivo do QS 10000 Vans US Open, será Connor O´Leary. O australiano foi um dos três surfistas que entraram no grupo dos dez indicados pelo QS para a elite dos top-34 da World Surf League, nesta semana em Huntington Beach. Ele chegou nos Estados Unidos em 17.o lugar e já é o sétimo, após a vitória sobre o francês Charles Martin na sexta-feira. Os outros dois perderam nas oitavas de final, o australiano Jack Freestone e o americano Evan Geiselman, que está fechando o G-10.

Alex Ribeiro (Foto: Jenny Herron / WSL via Getty Images)

Os três tiraram da lista o costa-ricense Carlos Muñoz, o australiano Jordan Lawler e o brasileiro Ian Gouveia. Evan Geiselman foi eliminado por Yago Dora, que somou notas 7,00 e 6,77 com aéreos e grandes manobras, para vencer por 13,77 a 12,10 pontos. O adversário de Yago na segunda quarta de final é o francês Jorgann Couzinet, que tirou o primeiro lugar no ranking do potiguar Jadson André, ao passar pelo australiano Kalani Ball na sexta-feira. O único que pode retomar a ponta para o Brasil é Alex Ribeiro, mas já precisa chegar na decisão do US Open para superar os 17.310 pontos que o francês já garantiu no ranking.

O próximo brasileiro a competir foi o jovem paulista Weslley Dantas, três baterias depois da vitória de Yago Dora. Foi a pior hora do mar e o confronto precisou ser reiniciado, porque não entrou nenhuma onda nos 10 primeiros minutos. Eles ainda ficaram mais 5 minutos esperando, até Barron Mamiya pegar uma direitinha e tentar um aéreo, sem sucesso. Weslley também pegou uma onda fraca e começou na frente por 1,43 a 0,93 pontos.

Weslley Dantas (Foto: Kenny Morris / WSL via Getty Images)

Passaram-se mais de 10 minutos para entrar outra série e Weslley pegou a primeira, mas só tirou 4,50, enquanto a do havaiano foi melhor, ele arriscou mais, manobrando forte de backside para assumir a ponta com nota 7,50. Logo, o havaiano pega uma ondinha embaixo da prioridade do Weslley para trocar o 0,93 por 3,43 e aumentar a vantagem para 6,44 já faltando menos de 5 minutos. O brasileiro ainda teve uma chance no último minuto, mas a nota 4,30 não foi suficiente e o havaiano avançou para as quartas de final por 12,03 a 8,80 pontos.

RANKING DO QS – Barron Mamiya chegou na Califórnia na última posição do G-10 e foi dormir a sexta-feira em quarto no ranking, entre os paulistas Alex Ribeiro em terceiro e Deivid Silva, que caiu para o quinto lugar. Jadson André, agora em segundo, é o outro brasileiro entre os top-10 do QS. Os que ainda podem entrar na zona de classificação para o CT, são Yago Dora e Adriano de Souza. Ambos estão fora do grupo dos 22 que são mantidos na elite, então já tentam garantir suas permanências entre os dez do ranking de acesso.

Yago Dora (Foto: Jenny Herron / WSL via Getty Images)

Yago subiu da quinquagésima para a 14.a posição e Mineirinho estava em 155.o lugar e já aparece em 31.o, abaixo do seu oponente na sexta-feira, Tomas Hermes, que saltou de 58.o para trigésimo. Os que perderam nas oitavas de final, também ganharam posições no ranking com os 3.700 pontos recebidos pelo nono lugar. O capixaba Krystian Kymerson subiu de trigésimo para 19.o, o pernambucano Luel Felipe de 69.o para 24.o e o paulista Weslley Dantas de 94.o para 37.o, ultrapassando seu irmão mais velho, o ex-top do CT, Wiggolly Dantas, que caiu de 32 para 40 no ranking.

MAIORIA BRASILEIRA – Os brasileiros iniciaram a sexta-feira com onze surfistas entre os 24 que disputaram classificação para as oitavas de final e a maioria foi mantida no fim do dia, com três passando para as quartas de final, junto com dois australianos, um francês, um havaiano e um único norte-americano, o vice-campeão de 2018, Griffin Colapinto, adversário de Adriano de Souza na disputa pela última vaga nas semifinais do US Open esse ano.

Colapinto fez a melhor apresentação nas ondas da sexta-feira, na penúltima classificatória para as oitavas de final com o próprio Mineirinho e o catarinense Mateus Herdy. Ele somou as notas 7,13 da sua segunda onda e 8,93 da última, para totalizar 16,06 pontos de 20 possíveis. O outro recordista do dia foi o francês Jorgann Couzinet, que massacrou uma longa esquerda com mais de oito manobras que valeram nota 9,00, novamente contra dois brasileiros, Yago Dora e o paulista Caio Ibelli, que foi eliminado.

Krystian Kymerson (Foto: Jenny Herron / WSL via Getty Images)

DOBRADINHA BRASILEIRA – Metade das oito baterias desta rodada que abriu a sexta-feira, tinha dois brasileiros contra um surfista de outro país que acabava vencendo. Krystian Kymerson começou o dia com vitória sobre o francês Charles Martin, eliminando o top do CT, Seth Moniz, do Havaí. Na segunda, o australiano Connor O´Leary foi o primeiro a derrotar dois brasileiros, com Alex Ribeiro ganhando a segunda vaga do paranaense Peterson Crisanto.

Depois vieram as derrotas de Caio Ibelli para Yago Dora na vitória do novo líder do ranking, Jorgann Couzinet, e do Mateus Herdy para o Adriano de Souza na disputa vencida por Griffin Colapinto. A dobradinha brasileira vencedora só aconteceu na última chance, com Tomas Hermes e Luel Felipe conquistando as duas últimas vagas para as oitavas de final, despachando um top americano do CT, Conner Coffin. Os eliminados nesta fase, ficaram em 17.o lugar no US Open, recebendo 2.200 pontos para o ranking e 2.500 dólares de prêmio.

 Luel Felipe (Foto: Kenny Morris / WSL via Getty Images)

QS FEMININO E PRO JUNIOR – As quartas de final do QS 10000 masculino só acontecem no domingo, mas no sábado tem mais Brasil disputando classificação e até títulos no maior palco do surfe norte-americano. A gaúcha Tatiana Weston-Webb vai enfrentar a japonesa Mahina Maeda na quinta oitava de final do primeiro QS 10000 feminino da história, que também termina no domingo. No sábado, serão definidos os títulos da categoria Pro Junior, para surfistas com até 18 anos de idade.

O catarinense Mateus Herdy é o atual campeão mundial e está nas semifinais, assim como a bicampeã sul-americana Pro Junior de 2017 e 2018, a peruana Sol Aguirre. Mateus foi até a Califórnia para competir no QS 10000 do Vans US Open, mas aproveitou para participar também da seletiva norte-americana para o Mundial Pro Junior da World Surf League, que ele venceu no ano passado na Ilha Taiwan. Seus adversários na primeira semifinal são o japonês Joh Azuchi e os norte-americanos Jett Schilling e Taj Lindblad.

A peruana Sol Aguirre não conseguiu vaga no QS 10000, mas também entrou no Pro Junior para ter a experiência de surfar em Huntington Beach. Ela passou duas baterias e está na segunda semifinal, com a havaiana Keala Tomoda-Bannert e as americanas Caitlin Simmers e Samantha Sibley, campeã do QS 6000 de Oceanside na final do último domingo com a brasileira Tatiana Weston-Webb. Para Sol e Mateus, vale a premiação em dinheiro, pois eles não pontuam no ranking Pro Junior da WSL North America, por serem filiados à WSL South America.

O QS 10000 Vans US Open of Surfing está sendo transmitido ao vivo de Huntington Beach pelo www.worldsurfleague.com e pelo Facebook Live e pelo aplicativo da World Surf League. A primeira chamada para as oitavas de final femininas será as 7h00 do sábado na Califórnia, 11h00 no fuso horário de Brasília.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem promovendo os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 230 eventos globais masculinos e femininos no ano para definir os campeões mundiais do World Surf League Championship Tour, Big Wave Tour, Redbull Airborne, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, além do WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, enquanto incentiva a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis da WSL, para uma enorme legião de fãs interessados em ver as grandes estrelas, como Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Tyler Wright, Gabriel Medina, John John Florence, Lakey Peterson, Grant Baker, Keala Kennelly, Paige Alms, Kai Lenny, Steven Sawyer, Soleil Errico, Carissa Moore, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais dinâmico e imprevisível de todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 5.200 pontos e US$ 5.000:

1.a: Alex Ribeiro (BRA) x Connor O´Leary (AUS)

2.a: Yago Dora (BRA) x Jorgann Couzinet (FRA)

3.a: Barron Mamiya (HAV) x Liam O´Brien (AUS)

4.a: Adriano de Souza (BRA) x Griffin Colapinto (EUA)

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com 3.700 pontos e US$ 3.550:

1.a: Caroline Marks (EUA) x Alyssa Spencer (EUA)

2.a: Courtney Conlogue (EUA) x Zahli Kelly (AUS)

3.a: Brisa Hennessy (CRI) x Isabella Nichols (AUS)

4.a: Sally Fitzgibbons (AUS) x Keely Andrew (AUS)

5.a: Tatiana Weston-Webb (BRA) x Mahina Maeda (JPN)

6.a: Stephanie Gilmore (AUS) x Bronte Macaulay (AUS)

7.a: Nikki Van Dijk (AUS) x Sage Erickson (EUA)

8.a: Malia Manuel (HAV) x Tessa Thyssen (FRA)

RESULTADOS DA SEXTA-FEIRA NA CALIFÓRNIA:

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com 3.700 pontos e US$ 3.550:

1.a: Alex Ribeiro (BRA) 11.57 x 9.97 Krystian Kymerson (BRA)

2.a: Connor O´Leary (AUS) 11.83 x 11.13 Charles Martin (FRA)

3.a: Yago Dora (BRA) 13.77 x 12.10 Evan Geiselman (EUA)

4.a: Jorgann Couzinet (FRA) 11.16 x 9.56 Kalani Ball (AUS)

5.a: Liam O´Brien (AUS) 13.34 x 12.03 Jack Freestone (AUS)

6.a: Barron Mamiya (HAV) 12.03 x 8.80 Weslley Dantas (BRA)

7.a: Griffin Colapinto (EUA) 13.13 x 11.16 Luel Felipe (BRA)

8.a: Adriano de Souza (BRA) 11.67 x 11.33 Tomas Hermes (BRA)

QUARTA FASE – 1.o e 2.o=Oitavas de Final e 3.o=17.o lugar com US$ 2.500 e 2.200 pts:

1.a: 1-Krystian Kymerson (BRA)=11.83, 2-Charles Martin (FRA)=10.57, 3-Seth Moniz (HAV)=9.90

2.a: 1-Connor O´Leary (AUS)=11.43, 2-Alex Ribeiro (BRA)=10.24, 3-Peterson Crisanto (BRA)=9.00

3.a: 1-Evan Geiselman (EUA)=12.77, 2-Kalani Ball (AUS)=12.43, 3-Michael Rodrigues (BRA)=8.43

4.a: 1-Jorgann Couzinet (FRA)=14.97, 2-Yago Dora (BRA)=14.43, 3-Caio Ibelli (BRA)=11.04

5.a: 1-Jack Freestone (AUS)=13.23, 2-Weslley Dantas (BRA)=10.53, 3-Morgan Cibilic (AUS)=10.23

6.a: 1-Barron Mamiya (HAV)=12.97, 2-Liam O´Brien (AUS)=12.26, 3-Kanoa Igarashi (JPN)=11.77

7.a: 1-Griffin Colapinto (EUA)=16.06, 2-Adriano de Souza (BRA)=11.63, 3-Mateus Herdy (BRA)=9.44

8.a: 1-Tomas Hermes (BRA)=13.50, 2-Luel Felipe (BRA)=13.03, 3-Conner Coffin (EUA)=11.17