Seis sul-americanos seguem na briga em Sydney

SYDNEY, AUSTRALIA - MARCH 11: 1 x WSL World Champion Adriano De Souza of Brasil surfing in Round 3 of the 2020 Sydney Surf Pro at Manly Beach on 11 March 2020 in Sydney, Australia today. (Photo by Matt Dunbar/WSL via Getty Images)
Adriano de Souza (Foto: Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

Seis sul-americanos seguem na briga do título em Sydney

By WSL Latin America

Seis sul-americanos conseguiram passar pelo mar difícil da quarta-feira em Manly Beach, com séries de meio metrinho de altura e poucas ondas boas entrando nas baterias que definiram os 24 surfistas que vão disputar classificação para as oitavas de final do Sydney Surf Pro Challenger Series na Austrália. O uruguaio Marco Giorgi foi um dos destaques do dia, no confronto que eliminou o campeão mundial Adriano de Souza e Willian Cardoso. O peruano Lucca Mesinas saiu da última para a sexta posição na lista dos dez que sobem para o CT, pelo ranking do WSL Qualifying Series. E dos onze brasileiros que competiram, apenas quatro avançaram, Jadson André, Deivid Silva, Michael Rodrigues e Thiago Camarão.

A quarta-feira começou com as baterias restantes da terceira fase feminina, que formaram as oitavas de final do Sydney Surf Pro Challenger Series. As condições estavam bem melhores no início da manhã e a tetracampeã mundial Carissa Moore mostrou isso, pegando boas ondas para fazer os recordes absolutos dessa semana em Manly Beach, 17,40 pontos com notas 9,23 e 8,17. As duas únicas participantes da América do Sul, a brasileira Silvana Lima e a peruana Daniella Rosas, não passaram da segunda fase em Sydney.

Adriano de Souza (Foto: Matt Dunbar / WSL via Getty Images)
Publicidade

Depois das quatro baterias das meninas, rolou a primeira da terceira fase masculina, mas as condições estavam tão críticas, que a comissão técnica decidiu aguardar a mudança da maré. A bateria do Adriano de Souza e Willian Cardoso, com Marco Giorgi e o português Vasco Ribeiro, só começou as 12h30 da quarta-feira na Austrália, 22h30 da terça-feira no Brasil.

Vasco logo achou uma direita que abriu uma longa parede, para fazer uma série de seis manobras de frontside até a beira. O português começou forte, com nota 8,17. Marco Giorgi também pegou uma direita boa no início, que rendeu seis batidas e rasgadas para ganhar 8,30 e os dois dominaram a bateria toda. O máximo que Mineirinho conseguiu foi 6,50 e Willian 5,60 na melhor onda deles. Marco Giorgi venceu por 15,17 pontos e Vasco Ribeiro passou em segundo com 12,34, contra 10,77 do campeão mundial e 9,77 do catarinense.

“Eu não tinha qualquer plano de jogo na bateria, pois não havia um pico definido para surfar e as condições mudavam constantemente com a troca da maré”, disse Marco Giorgi. “Estou feliz por conseguir ganhar do Adriano (de Souza), especialmente em ondas assim, que ele é muito bom. Para mim, não é fácil surfar ondas tão pequenas, ao contrário dos outros caras que estavam na bateria. Foi incrível ganhar deles e espero seguir avançando no campeonato”.

Marco Giorgi (Foto: Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

NOVO LÍDER DO QS – Os recordes do uruguaio na quarta-feira, só foram batidos pelo norte-americano Nat Young na bateria que rolou depois da dele. O californiano conseguiu notas 8,33 e 7,23 nas duas últimas que surfou e atingiu 15,56 pontos. Com os 2.000 pontos garantidos no ranking, pela passagem para a quarta fase do Challenger Series de Sydney, Nat Young já saltou do terceiro para o primeiro lugar no WSL Qualifying Series, ultrapassando numa tacada só, o paulista Wiggolly Dantas que estava liderando e o peruano Alonso Correa.

Depois da dupla eliminação, veio uma dobradinha brasileira vencedora na quarta bateria, com o guerreiro potiguar mostrando sua raça habitual de lutar até o fim mais uma vez. Jadson André estava em último quando soou o sinal dos 5 minutos finais, mas buscou a classificação em três ondas seguidas. A reação fulminante começou com a maior nota da bateria, 7,67. Na seguinte, conseguiu 4,40 para já tirar o segundo lugar do neozelandês Ricardo Christie.

Jadson André (Foto: Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

O cearense Michael Rodrigues tinha começado bem, com seus aéreos e a força nas manobras arrancando notas 6,50 e 7,33 dos juízes. Jadson aumentou a vantagem com um aéreo e uma batida que valeram 5,53 e ainda pegou outra onda pra manobrar forte e ganhar 6,17. Com essa nota, venceu a bateria por 13,84 a 13,83 do Michael Rodrigues. Ricardo Christie terminou em terceiro com 12,00 pontos e o japonês Hiroto Ohhara em último com 8,93.

CAMPEÃO BARRADO – Jadson foi vice-campeão do Sydney Surf Pro no ano passado e o defensor do título, Jordan Lawler, caiu na quarta-feira. Foi numa bateria muito disputada, que foi vencida por outro australiano, Matt Banting, por 11,17 pontos, com o paulista Thiago Camarão passando em segundo com 11,07. A classificação foi por apenas 3 décimos, graças as notas 5,90 e 5,17 das duas últimas ondas que ele surfou. O norte-americano Jake Marshall acabou em terceiro com 10,77 e Jordan Lawler só conseguiu 10,16 pontos.

Thiago Camarão (Foto: Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

“Eu sabia que dava para conseguir os pontos que precisava e ficava dizendo a mim mesmo para não desistir e me concentrar em fazer meu melhor na onda, sem pensar nos pontos”, contou Thiago Camarão. “Eu e o Jordan (Lawler) somos grandes amigos e jantamos juntos outra noite, mas eu precisava me concentrar só em mim mesmo e não nos outros caras da bateria. Na próxima, quero focar mais na seleção das ondas. Eu escolhi algumas ruins hoje (quarta-feira), então vou tentar mudar isso na próxima fase”.

Após essa décima das doze baterias da terceira fase, só teve mais uma classificação brasileira, do top do CT 2020, Deivid Silva. O paulista entrou no confronto seguinte, junto com o carioca Lucas Silveira e os dois tiveram que brigar pela segunda vaga. O australiano Reef Heazlewood acertou um belo aéreo que valeu 7,50 e venceu por 13,00 pontos. A nota 5,83 da melhor onda do DVD, acabou fazendo a diferença para superar Lucas Silveira, por uma pequena vantagem de 10,80 a 10,77 pontos. O americano Patrick Gudauskas foi o último colocado.

Deivid Silva (Foto: Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

PERUANO CLASSIFICADO – Na última bateria do dia, as condições do mar até melhoraram e o australiano Ryan Callinan, vice-campeão no QS 5000 de Newcastle no domingo, achou boas ondas para vencer por 13,90 pontos, com notas 7,17 e 6,73. Outro top do CT 2020 estava na bateria, mas o sul-africano Matthew McGillivray só surfou duas ondas e ficou em último. A batalha pela segunda vaga foi entre o peruano Lucca Mesinas e o paulista Jessé Mendes.

Lucca Mesinas chegou em Sydney em décimo lugar no ranking, fechando a lista dos dez indicados pelo WSL Qualiifying Series, para a elite dos top-34 da World Surf League. Ele precisava avançar para seguir defendendo sua vaga e conseguiu, com as notas 6,73 e 5,87 que ganhou em duas ondas seguidas. Com elas, totalizou 12,60 pontos, contra 11,64 do Jessé, que terminou em 25.o lugar no Sydney Surf Pro, recebendo 1.800 dólares e 750 pontos.

Com a classificação para a quarta fase, Lucca Mesinas já aparece em sexto lugar no G-10 do QS. Na mesma 25.a posição no primeiro Challenger Series do ano, ficaram cinco brasileiros, o campeão mundial Adriano de Souza, o pernambucano Ian Gouveia que defendia a sétima posição no ranking, o catarinense Mateus Herdy, o carioca Lucas Silveira e o baiano Marco Fernandez. Já Willian Cardoso terminou em 37.o lugar com 1.400 dólares e 650 pontos, por ter sido o último colocado na sua bateria.

Michael Rodrigues (Foto: Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

VAGAS NAS OITAVAS – Os 24 classificados nas doze baterias da quarta-feira, vão disputar classificação para as oitavas de final do Sydney Surf Pro Challenger Series. Entre eles, seis são da América do Sul. O primeiro a competir é o uruguaio Marco Giorgi na segunda bateria, contra o australiano Liam O´Brien e o novo líder do QS 2020, Nat Young. Jadson André entra no confronto seguinte, com o australiano Ethan Ewing e o havaiano Joshua Moniz.

Na quarta bateria, tem Michael Rodrigues contra o havaiano Imaikalani Devault e o japonês Shun Murakami, que já subiu do sexto para o quarto lugar no ranking. Depois, o peruano Lucca Mesinas enfrenta dois australianos na sétima e penúltima bateria, Matt Banting e Reef Heazlewood. Já a batalha pelas duas últimas vagas para as oitavas de final terá dois brasileiros, Deivid Silva e Thiago Camarão, enfrentando outro australiano, Ryan Callinan.

O Sydney Surf Pro Challenger Series está sendo transmitido ao vivo de Manly Beach pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis da World Surf League. A primeira chamada da quinta-feira foi marcada para as 7h00 na Austrália, 17h00 da quarta-feira no Brasil.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL Latin America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), criada em 1976, é a principal plataforma do surf e dos surfistas no mundo inteiro. A WSL está dedicada a mudar o mundo através do poder inspirador do surf, criando eventos, experiências e narrativas autênticas para inspirar a comunidade global a viver um lifestyle com dedicação, originalidade e entusiasmo.

A World Surf League é uma organização global e sua sede principal é em Santa Monica, Estados Unidos, com escritórios regionais para a América do Norte, América Latina, Europa, África, Ásia, Australasia e Hawaii. A WSL tem uma profunda apreciação pela rica herança do surf, promovendo progressão, inovação e performance nos níveis mais altos do esporte.

A WSL é composta por Circuitos e Eventos, celebrando os melhores surfistas do mundo em todas as modalidades, realizando anualmente mais de 180 campeonatos globais para coroar os campeões mundiais em todas as divisões; pela WSL WaveCO, onde a inovação encontra experiências inéditas; e pela WSL Studios, que oferece as melhores narrativas através das competições, lifestyle e conservação.

Para mais informações, visite WorldSurfLeague.com

———————————————————–

QUARTA FASE DO SYDNEY SURF PRO CHALLENGER SERIES:

——1.o e 2.o=Oitavas de Final e 3.o=17.o lugar com US$ 2.500 e 2.000 pontos

1.a: Leonardo Fioravanti (ITA), Charles Martin (FRA), Vasco Ribeiro (PRT)

2.a: Nat Young (EUA), Liam O´Brien (AUS), Marco Giorgi (URU)

3.a: Jadson André (BRA), Ethan Ewing (AUS), Joshua Moniz (HAV)

4.a: Michael Rodrigues (BRA), Shun Murakami (JPN), Imaikalani Devault (HAV)

5.a: Jacob Willcox (AUS), Michael Dunphy (EUA), Cam Richards (EUA)

6.a: Jack Robinson (AUS), Jorgann Couzinet (FRA), Jackson Baker (AUS)

7.a: Matt Banting (AUS), Lucca Mesinas (PER), Reef Heazlewood (AUS)

8.a: Ryan Callinan (AUS), Deivid Silva (BRA)Thiago Camarão (BRA)

TERCEIRA FASE – 3.o=25.o lugar (US$ 1.800 e 750 pts) e 4.o=37.o lugar (US$ 1.400 e 650 pts):

1.a: 1-Charles Martin (FRA), 2-Liam O´Brien (AUS), 3-Reo Inaba (JPN), 4-Mitch Crews (AUS)

2.a: 1-Marco Giorgi (URU), 2-Vasco Ribeiro (PRT), 3-Adriano de Souza (BRA)4-Willian Cardoso (BRA)

3.a: 1-Nat Young (EUA), 2-Leonardo Fioravanti (ITA), 3-Griffin Colapinto (EUA), 4-Sheldon Simkus (AUS)

4.a: 1-Jadson André (BRA)2-Michael Rodrigues (BRA), 3-Ricardo Christie (NZL), 4-Hiroto Ohhara (JPN)

5.a: 1-Ethan Ewing (AUS), 2-Shun Murakami (JPN), 3-Ezekiel Lau (HAV), 4-Mihimana Braye (TAH)

6.a: 1-Imaikalani Devault (HAV), 2-Joshua Moniz (HAV), 3-Marco Fernandez (BRA), 4-Billy Stairmand (NZL)

7.a: 1-Jacob Willcox (AUS), 2-Jack Robinson (AUS), 3-Mateus Herdy (BRA), 4-Nicholas Squiers (AUS)

8.a: 1-Jorgann Couzinet (FRA), 2-Cam Richards (EUA), 3-Maxime Huscenot (FRA), 4-Ian Crane (EUA)

9.a: 1-Jackson Baker (AUS), 2-Michael Dunphy (EUA), 3-Ian Gouveia (BRA), 4-Adrian Buchan (AUS)

10: 1-Matt Banting (AUS), 2-Thiago Camarão (BRA), 3-Jake Marshall (EUA), 4-Jordan Lawler (AUS)

11: 1-Reef Heazlewood (AUS), 2-Deivid Silva (BRA)3-Lucas Silveira (BRA), 4-Patrick Gudauskas (EUA)

12: 1-Ryan Callinan (AUS), 2-Lucca Mesinas (PER)3-Jessé Mendes (BRA), 4-Matthew McGillivray (AFR)

OITAVAS DE FINAL FEMININAS DO SYDNEY SURF PRO:

1.a: Kirra Pinkerton (EUA) x Sophie McCulloch (AUS)

2.a: Brisa Hennessy (CRI) x Keala Tomoda-Bannert (HAV)

3.a: Tyler Wright (AUS) x Macy Callaghan (AUS)

4.a: Gabriela Bryan (HAV) x Alyssa Spencer (EUA)

5.a: Johanne Defay (FRA) x Leticia Canales Bilbao (ESP)

6.a: Meah Collins (EUA) x Molly Picklum (AUS)

7.a: Carissa Moore (HAV) x Coco Ho (HAV)

8.a: Bronte Macaulay (AUS) x Mahina Maeda (JPN)