Pavones

Pavones, Costa Rica

Pavones, na Costa Rica. Considerada uma das ondas mais longas do mundo, Pavones é certamente a esquerda dos sonhos de muitos surfistas mundo afora.

Diferentemente de Chicama, no Peru, esta onda fica em um local quente e tropical. Dessa forma, pode ser uma excelente opção para aqueles que buscam ondas longas e perfeitas sem a necessidade de utilizar roupas de neoprene e outros acessórios que protegem do frio.

Neste vídeo abaixo é possível ver o lendário Rob Naish surfando por 2 minutos e quinze segundos na mesma onda, percorrendo mais de um quilômetro de distância!

Publicidade

Costa Rica

A Costa Rica é um dos destinos mais completos para uma viagem, seja ela com os amigos ou a família. Além de ter uma costa riquíssima de ondas e ser banhada pelos Oceanos Pacífico e Atlântico, este país da América Central conta também com florestas tropicais preservadas e lindas cachoeiras. Locais como o Vulcão Arenal e sua enorme tirolesa ou as águas termais de La Fortuna são muito visitados por surfistas durante dias de ondas pequenas em suas surf trips por exemplo.

A capital, San José, oferece experiências gastronômicas e culturais muito interessantes como por exemplo o Museu do Ouro Pré-Colombiano. No entanto, o país de fato mais conhecido por suas praias, vulcões e biodiversidade. Cerca de um quarto de seu território é ocupado por florestas protegidas, que são repletas de espécies de vida selvagem. Em parques como o de Manuel Antônio é possível ver muitos macacos-aranha e aves quetzal por exemplo.

pavones

Há pouco mais de setenta anos, a Costa Rica extinguiu suas forças armadas.  Em vez de parada militar, os costarriquenhos comemoram o dia da independência – no dia 15 de setembro – com um desfile de crianças sorridentes. O hino nacional foi originalmente composto como uma canção de boas-vindas.

Povo Alegre E Consciência Ambiental

Tudo isso soa muito bem não é mesmo? Assim pensam também os costarriquenhos. Eles são o povo mais feliz do mundo. Sem dúvida, medir a felicidade de uma nação é algo menos preciso do que medir a produção de suas riquezas. Entretanto a Costa Rica aparece em primeiro lugar no Happy Planet Index e no World Database of Happiness. No World Happiness Report, o país ocupa apenas o 13º lugar – ainda assim, bem à frente do Brasil (28º).

Por conta de terem um subsolo pobre em óleo e gás, a Costa Rica aproveita essa fraqueza para investir em uma economia de matriz energética totalmente limpa. Hoje, 99% da energia do país vem de fontes renováveis. O presidente Carlos Alvarado Quesada prometeu extinguir o consumo de combustíveis fósseis por volta de 2021. Além disso, é um país livre de pólvora há 70 anos e está muito próximo de se livrar da dependência do petróleo.

Costa Riquíssima De Ondas

A Costa Rica tornou-se um destino muito popular de surf por um bom motivo. Há ondas consistentes durante todo o ano, pois tem praias que recebem bem tanto ondulações de sul quanto de norte na costa do pacífico. Além disso também conta com excelentes ondas na região de Puerto Limón, na costa do Atlântico. A temperatura da água e do ar são outros atrativos, já que ficam em média acima dos 25 graus.

Desde reef breaks sobre fundo de coral até praias com ondinhas para iniciantes, a Costa Rica oferece muitas opções de ondas para todos os níveis de surfistas. Se você está procurando por um destino de viagem completo e acolhedor verá que a Costa Rica pode facilmente ser sua próxima escolha. Ondas como Playa Hermosa de Jacó, Playa Negra, Ollie’s Point e Roca Bruja são algumas das mais procuradas e famosas do país.

Devido à reputação de a Costa Rica de ser o país mais estável e mais seguro da América Central, houve um aumento no turismo e no desenvolvimento nos últimos 20 anos. A vantagem é que o país é bastante seguro e fácil de viajar, e há muitos restaurantes e lugares incríveis para ficar. A desvantagem é que há mais viajantes do que nunca e com isso os preços se elevaram bastante, tornando uma viagem que antes era barata em algo mais custoso.

Apesar de haver dezenas de picos de ondas boas para abordarmos nesse País, não foi uma tarefa das mais difíceis escolher qual seria nosso alvo. Pavones é certamente uma das ondas mais desejadas do mundo e você entenderá porque nos próximos parágrafos.

Pavones Pura Vida

pavones

Nosso alvo hoje é na verdade uma praia remota, apesar de ser bastante conhecida mundo afora. Chegar em Pavones de fato nunca foi uma missão muito simples. Em outras épocas era necessário cruzar dois rios com pequenas balsas operadas manualmente, as quais podiam levar no máximo 4 carros ou dois micro-ônibus por vez. Contudo, em épocas de grandes acumulados de chuva estes rios poderiam ficar intransponíveis, deixando a região isolada do restante do país. Nos dias atuais este problema não acontece mais por causa das pontes que foram construídas nestes rios, todavia não espere por uma estrada boa e pavimentada até lá, pois ela ainda é rural e cheia de obstáculos.

pavones

Inegavelmente, estar em Pavones traz sensação de isolamento e paz em meio à natureza. Para chegar até lá o visitante deve primeiro dirigir (ou voar) até a cidade de Golfito, que fica muito próxima à fronteira com o Panamá. Esta cidade é o centro comercial e urbano mais próximo de Pavones, onde é possível encontrar farmácia, pronto-socorro e banco por exemplo. De Golfito até Pavones são pouco mais de 50 quilômetros, mas essa pequena distância leva mais de uma hora para ser percorrida. Se formos contar desde o aeroporto da capital até lá serão necessárias pelo menos 7 horas de viagem de carro.

pavones

O estilo de vida Pura Vida é levado à risca em Pavones. Ali é realmente o lugar ideal para relaxas, surfar, cochilar em redes após o almoço e viver o momento presente, sem se preocupar com nada. O vilarejo é uma mistura de nativos, expatriados e alguns turistas de sorte que aparecem para surfar. Você não encontrará muitos turistas tradicionais na região, pois não há muito o que fazer se você não for um surfista.

Melhores Condições

Pavones fica localizada dentro do Golfo Dulce, extremo sul do país. Por estar em um local bastante protegido, esta onda precisa de grandes swells de sul/sudoeste para quebrar legal. Isso definitivamente faz com que ela seja muito inconsistente e crowdeada quando tem altas ondas, visto que muitos surfistas se deslocam para lá sempre que uma ondulação com bom potencial surge no mapa. Mais ou menos como acontece com Desert Point, na Indonésia.

As condições ideais para Pavones quebrar clássica e com bom tamanho são swell de sul/sudoeste com tamanho a partir de 5 pés. O recomendado é um swell de 8 a 12 pés com período longo, maior que 12 segundos. A onda funciona com todas as marés, sendo a seca ideal para os tubos e deixando a onda mais seccionada e veloz. Já na maré cheia é quando as ondas conectam todas as seções e quando é possível surfar por mais de 1km em uma única onda. O fundo é um mix de areia com pedras redondas e o vento perfeito é o nordeste fraco.

As Ondas

Embora seja um pico pouco constante em condições clássicas, é sim bem possível pegar ondas divertidas (mas pequenas) em dias de swells não tão poderosos. Se estiver na disposição de deixar os beach breaks tubulares quebrando com 1,5m mais ao norte para surfar ondas de meio metro em Pavones, você poderá ser recompensado com algumas das ondas mais longas de sua vida. É nesses dias que evidentemente há muito menos crowd

Pavones

A praia de areia preta conta com a desembocadura de um rio no canto esquerdo. A onda começa uns 400m adiante dali. O começo da onda – os primeiros 300 metros – apresenta três ou quatro seções bem em pé e manobráveis. À medida que você se aproxima da foz do rio, a onda acelera e, dependendo da maré, pode ficar super oca e tubular. Depois de passar pela foz do rio, a onda diminui de velocidade e arma paredes incrivelmente convidativas para rasgadas e batidas até bambear as pernas.

Por ser uma onda longa, veloz e cheia de seções, a prancha ideal precisa ser igualmente veloz, estável e responsiva. A prancha perfeita para lá deve ter um bom single concave, para poder acompanhar a velocidade da onda. É necessário também um rocker mais alto de bico e rabeta, que vai ajudar a prancha a se encaixar na curva da onda e também atacar as partes críticas. Recomendamos aqui os modelos DHD Mick Fanning JBayAl Merrick Fever e Sharp Eye #77.

Pan Dulce

Esta onda é para aqueles que estão cansados de surfar apenas esquerdas. Pan Dulce fica em Matapalo, do outro lado do Golfo Dulce. É uma direita perfeita quando uma boa ondulação de sul encosta. Um pouco mais volumosa e menos tubular que Pavones, esta onda oferece paredes longas e extremamente manobráveis. Para chegar lá é necessário contatar os barqueiros locais que fazem o transporte ao longo do golfo até a onda. Utilize as mesmas pranchas de Pavones, elas irão funcionar igualmente bem.

A Costa Rica é um destino muito interessante para todos os níveis de surfista, por isso convide seus amigos para lerem este artigo. Quem sabe em breve vocês poderão estar desfrutando das ondas perfeitas de Pavones e outros picos do país. Boas ondas e Pura Vida!

Por Luis Coruja pranchanova.com