Nova York, Surf o ano inteiro

Projeto da Long Island Surf Park já possui primeiros esboços (Foto: Divulgação/Brett Portera)

Piscina será construída na região de Shirley, Long Island. Promessa é oferecer surf em todas as épocas do ano, até em temperaturas abaixo de zero.

Um pai e seu filho, ambos amantes do surf, decidiram fazer um investimento ousado recentemente e anunciaram a construção de uma piscina de ondas em Shirley, região de Long Island, Nova York.

Publicidade

O projeto batizado de Long Island Surf Park ficará localizado no parque industrial Brookhaven Technology Center, uma enorme área verde onde  voltada para empreendimentos ecológicos . A piscina terá uma área de aproximadamente 15 mil metros, além de um lounge,  um restaurante e uma loja de artigos de surf. A tecnologia adotada para a geração de ondas é a da empresa espanhola Wavegarden.

Região de Shirley, Long Island, local onde habitará a nova piscina de ondas de Brett Portera (Foto: A&G Realty Partners and Madison Hawk Partners)

“Este é um sonho de infância para mim”, disse o co-fundador e vice-presidente Brett Portera, que tem como sócio seu pai, Chris. “Se você é alguém que adora surfar, está sempre procurando a onda perfeita. O maior desejo para mim é ter uma ótima piscina e algo para todos usarem”, ressaltou.

Portera explica que as atividades da piscina serão divididas em dois tipos: metade das horas de operação serão destinadas a surfistas que se cadastrarem em um plano anual que vai variar entre U$ 3.500 a U$ 8.000 por ano, com vários benefícios diferentes. A outra metade será vendida individualmente em períodos de uma hora. Ainda não foi estipulado o preço para surfar por esse período na onda nova-iorquina, porém, Portera disse que as taxas serão comparáveis ​​às cobradas no Typhoon Lagoon, em Orlando, Flórida, e no Adventure Parc Snowdonia, na Inglaterra, ou seja, algo em torno de 120 dólares.

Para Portera, o maior desafio de realizar a construção em Nova Iorque e cumprir sua promessa de ondas o ano inteiro é o frio. A solução está em uma tecnologia promissora, um sistema de energia que recuperará o calor emitido da piscina ao longo dos períodos de calor e aquecerá a água no frio a uma temperatura de 60 graus.

O projeto agora está em fase de estruturação. De acordo com Portera, a expectativa é de que as obras comecem em 6 ou 8 meses. Para ele, há demanda para expandir o projeto em todo o país.  “Meu plano é ter uma dúzia deles”, completa.

Fonte hardcore.com.br