Mineirinho vence primeira vaga nas quartas de final em Trestles

Adriano de Souza (Foto: Sean Rowland – WSL)
By João Carvalho

O campeão mundial Adriano de Souza ganhou a primeira das duas vagas para as quartas de final do Hurley Pro at Trestles disputadas nas baterias que fecharam a quarta-feira de boas ondas de 3-4 pés em Lower Trestles, San Clemente, na Califórnia.

Filipe Toledo e Jadson André venceram os duelos brasileiros da terceira fase e também seguem na disputa do título da etapa norte-americana do World Surf League Championship Tour. Jadson derrotou Gabriel Medina e depois perdeu por pouco para Mineirinho, mas terá uma segunda chance na quinta fase. Filipe ganhou a bateria paulista com Miguel Pupo e ainda vai disputar classificação para as quartas de final na terceira da quinta-feira. A primeira do dia começa às 8h00 na Califórnia, 12h00 no fuso horário de Brasília.

Publicidade

As condições do mar melhoraram bastante na quarta-feira e os melhores surfistas do mundo deram um show nas esquerdas e direitas de alta performance de Lower Trestles. As ondas estavam boas para todos os tipos de manobras de borda e formavam rampas perfeitas para os aéreos. Mas, a quarta-feira foi mais um dia com as séries muito espaçadas, com poucas ondas entrando na maioria das baterias. Então, era preciso ter uma boa escolha para pegar as melhores e não desperdiçar as oportunidades.

Foi assim que Adriano de Souza venceu as duas baterias que disputou, aproveitando muito bem as chances que teve para mostrar o seu ataque com pressão e velocidade nos pontos mais críticos das ondas. Mineirinho abriu a terceira fase despachando o australiano-voador, Josh Kerr, por uma pequena vantagem de 12,77 a 12,03 pontos. Depois, achou melhores ondas na verdadeira batalha que travou com o potiguar Jadson André, pela primeira vaga direta para as quartas de final.

Ele ganhou a maior nota da bateria, 9,10, numa onda destruída do início ao fim com grandes manobras. Na seguinte recebeu 7,70, mas Jadson deu trabalho e chegou perto da vitória em duas ondas que valeram notas na casa dos 8 pontos. O potiguar massacrou uma direita com a potência e verticalidade do seu backside e mostrou a força do seu frontside numa esquerda para atingir 16,07 pontos, mas Mineirinho ganhou por 16,80 e o havaiano Sebastian Zietz ficou em último com 11,37 apenas.

“Fiquei pensando muito que tinha que passar pela terceira fase (que não conseguiu nas três últimas etapas, desde sua vitória no Oi Rio Pro em Saquarema)”, disse Adriano de Souza. “Esses últimos eventos foram de grande aprendizado para mim. Eu coloquei mil por cento em tudo, fiz tudo que pude, mas acho que finalmente encontrei o ritmo aqui. Estou feliz por escolher as melhores ondas nessa última bateria, mas fiquei um pouco preocupado com o Jadson (André), então tentei usar a prioridade com segurança e escolher a onda que eu queria para trocar a menor nota. Estou feliz por passar direto para as quartas de final”.

Frederico Morais (Foto: Kenneth Morris – WSL)

PORTUGUÊS CLASSIFICADO – Jadson André perdeu a primeira batalha por vagas nas quartas de final, mas terá outra chance na bateria com Adrian Buchan que vai abrir a quinta fase. O vencedor enfrenta Adriano de Souza, valendo passagem para as semifinais. O australiano ficou em último na bateria que fechou a quarta-feira e foi uma das melhores do campeonato. A segunda vaga direta para as quartas de final foi conquistada pelo português Frederico Morais, com mais uma brilhante apresentação em San Clemente.

Ele encaixou o seu surfe em Lower Trestles e conseguiu pegar boas ondas para mostrar suas manobras e bater até o defensor do título do Hurley Pro e líder do Jeep WSL Ranking, Jordy Smith. Frederico surfou três ondas excelentes e descartou o 8,50 da primeira que pegou, para vencer com o 8,60 e 8,57 que recebeu nas duas últimas. Com elas, atingiu 17,17 pontos contra 16,30 do sul-africano e 16,10 de Adrian Buchan na bateria mais disputada do dia.

Os melhores da quarta-feira foram os dois surfistas que estão na briga fase a fase pela liderança do ranking no Hurley Pro at Trestles. O número 1, Jordy Smith, somou duas notas 9,47 na vitória sobre o norte-americano Evan Geiselman por 18,94 pontos. E na bateria seguinte, o atual campeão mundial John John Florence foi mais incrível ainda e totalizou 19,07 de 20 possíveis com as notas 9,80 e 9,27 que recebeu com seus aéreos espetaculares contra o japonês Hiroto Ohhara. O líder vai enfrentar Sebastian Zietz na repescagem e John John ainda vai disputar a vaga direta da quarta fase na terceira bateria, que ficou para a quinta-feira.

Filipe Toledo (Foto: Sean Rowland – WSL)

DUELOS BRASILEIROS – Entre os brasileiros, Filipe Toledo fez o maior placar no segundo duelo verde-amarelo da terceira fase. Ele surfou no nível dos recordistas, mesmo competindo numa hora que as ondas não estavam tão constantes e tão boas. Mas, apresentou o seu arsenal de manobras modernas e progressivas, incluindo as aéreas, para dominar a bateria. Miguel Pupo perdeu muito tempo esperando por ondas e só surfou a sua primeira quando restavam apenas 10 minutos para o término. Ainda assim, achou uma esquerda boa para mandar dois aéreos que valeram nota 8,53. Só que Filipe já tinha duas no mesmo nível e venceu fácil por 16,93 a 11,86 pontos.

No outro confronto brasileiro, o favorito era Gabriel Medina, mas Jadson André conseguiu derrotar pela primeira vez o campeão mundial em baterias eliminatórias no CT. O potiguar destruiu uma direita com uma série impressionante de oito batidas e rasgadas jogando muita água pra cima com a força do seu backside, para ganhar a maior nota da bateria, 8,43. Medina passou então a arriscar os aéreos e chegou a acertar dois em sua melhor onda, nota 7,60. Jadson já tinha um 7,33 da sua primeira onda e seguiu em frente por 15,76 a 14,80 pontos.

“Eu pensei que a primeira onda do Gabriel (Medina) era 8,5, então quando peguei minha primeira onda eu surfei com muita vontade de tirar uma nota alta também”, disse Jadson André. “Estou amarradão por ganhar uma bateria dele, especialmente aqui em Lower. Acho que as coisas simplesmente estão acontecendo para mim aqui e estou com a prancha no pé também. Eu só quero apenas surfar o meu melhor e eliminar os erros. Eu sinto que estou surfando bem, mas cometendo erros que preciso corrigir para conseguir melhores resultados”.

Jadson Andre (Foto: Sean Rowland – WSL)

DERROTAS BRASILEIRAS – Outros dois brasileiros competiram na terceira fase, mas foram eliminados por seus adversários sem conseguir achar boas ondas nas baterias. O potiguar Italo Ferreira tinha surfado muito bem nas outras duas participações nas ondas de Lower Trestles, quase derrotando o campeão mundial John John Florence na primeira fase, que só conseguiu a vitória no minuto final. Agora, foi barrado por outro havaiano, Sebastian Zietz, que começou bem com nota 7,33 e destruiu uma onda que valeu a maior nota do dia até ali, 9,43. Com ela, selou a tranquila vitória por uma larga vantagem de 16,76 a 7,04 pontos.

O paulista Wiggolly Dantas também não teve muitas oportunidades para surfar contra Adrian Buchan. Curiosamente, o australiano também largou na frente com nota 7,33 e confirmou a classificação para a quarta fase na última onda, que foi melhor, 8,17, como o havaiano Sebastian Zietz tinha feito contra Italo Ferreira. Wiggolly perdeu por 15,50 a 10,93 e terminou em 13.o lugar no Hurley Pro como o potiguar e os paulistas Gabriel Medina e Miguel Pupo, marcando apenas 1.750 pontos no Jeep WSL Ranking.

Com as derrotas, Medina não conseguiu se aproximar da briga pelo título mundial, Wiggolly permaneceu na rabeira da lista dos 22 primeiros do ranking que são mantidos na elite dos top-34 para o ano que vem e Pupo continua fora da zona de classificação para o CT 2018. Os dois surfistas que ocupavam as últimas posições no G-22, Jeremy Flores e Bede Durbidge, passaram para a quarta fase e já garantiram um mínimo de 4.000 pontos. Com isso, eles empurraram Wiggolly Dantas para a 21.a posição e Caio Ibelli para a 22.a. Na 23.a está Italo Ferreira e os brasileiros vão ter que brigar pelas últimas vagas no G-22 nesta reta final da temporada.

O Hurley Pro at Trestles está sendo transmitido pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da WSL e no Facebook Live através da página da World Surf League no Facebook, passando ao vivo também pela ESPN+ e Globoesporte.com no Brasil, CBS Sports Network nos Estados Unidos, Fox Sports na Austrália, SKY NZ na Nova Zelândia, SFR Sports na França e em Portugal e EDGE Sports Network na China, Japão, Malásia e outros territórios asiáticos.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Grant Baker, Phil Rajzman, Tory Gilkerson, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

QUARTAS DE FINAL DO HURLEY PRO TRESTLES:

1.a: Adriano de Souza (BRA) x vencedor da 1.a bateria da Quinta Fase

2.a: Frederico Morais (PRT) x vencedor da 2.a bateria da Quinta Fase

3.a: vencedor da 3.a bateria da Quarta Fase x vencedor da 3.a da Quinta Fase

4.a: vencedor da 4.a bateria da Quarta Fase x vencedor da 4.a da Quinta Fase

QUINTA FASE – Vitória=Quartas de Final / Derrota=9.o lugar com 4.000 pontos e US$ 13.700:

1.a: Adrian Buchan (AUS) x Jadson André (BRA)

2.a: Jordy Smith (AFR) x Sebastian Zietz (HAV)

3.a: 2.o da 3.a bateria da Quarta Fase x 3.o da 4.a bateria

4.a: 2.o da 4.a bateria da Quarta Fase x 3.o da 3.a bateria

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final / 2.o e 3.o=Quinta Fase:

——-últimas baterias da quarta-feira:

1.a: 1-Adriano de Souza (BRA)=16.80, 2-Jadson André (BRA)=16.07, 3-Sebastian Zietz (HAV)=11.37

2.a: 1-Frederico Morais (PRT)=17.17, 2-Jordy Smith (AFR)=16.30, 3-Adrian Buchan (AUS)=16.10

——-ficaram para abrir a quinta-feira:

3.a: John John Florence (HAV), Jeremy Flores (FRA), vencedor da 9.a bateria da Terceira Fase

4.a: Julian Wilson (AUS), Filipe Toledo (BRA), Bede Durbidge (AUS)

TERCEIRA FASE – 13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 10.000:

01: Adriano de Souza (BRA) 12.77 x 12.03 Josh Kerr (AUS)

02: Sebastian Zietz (HAV) 16.76 x 7.04 Italo Ferreira (BRA)

03: Jadson André (BRA) 15.76 x 14.80 Gabriel Medina (BRA)

04: Frederico Morais (PRT) 16.76 x 15.50 Ezekiel Lau (HAV)

05: Adrian Buchan (AUS) 15.50 x 10.93 Wiggolly Dantas (BRA)

06: Jordy Smith (AFR) 18.94 x 14.83 Evan Geiselman (EUA)

07: John John Florence (HAV) 19.07 x 13.33 Hiroto Ohhara (JPN)

08: Jeremy Flores (FRA) 16.47 x 15.60 Conner Coffin (EUA)

09: Mick Fanning (AUS) x Kanoa Igarashi (EUA) será disputada novamente

10: Filipe Toledo (BRA) 16.93 x 11.86 Miguel Pupo (BRA)

11: Bede Durbidge (AUS) 18.43 x 14.50 Joan Duru (FRA)

12: Julian Wilson (AUS) 17.44 x 12.87 Ethan Ewing (AUS)

QUARTAS DE FINAL DO SWATCH PRO TRESTLES:

1.a: Silvana Lima (BRA) x vencedora da 1.a bateria da Quarta Fase

2.a: Carissa Moore (HAV) x vencedora da 2.a bateria da Quarta Fase

3.a: Sally Fitzgibbons (AUS) x vencedora da 3.a da Quarta Fase

4.a: Sage Erickson (EUA) x vencedora da 4.a da Quarta Fase

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final / Derrota=9.o lugar com 3.300 pontos e US$ 11.500:

1.a: Tyler Wright (AUS) x Stephanie Gilmore (AUS)

2.a: Johanne Defay (FRA) x Lakey Peterson (EUA)

3.a: Courtney Conlogue (EUA) x Nikki Van Dijk (AUS)

4.a: Pauline Ado (FRA) x Keely Andrew (AUS)

TERCEIRA FASE – Vitória=Quartas de Final / 2.a e 3.a=Quarta Fase:

——–últimos resultados da terça-feira:

1.a: 1-Silvana Lima (BRA)=18.10, 2-Stephanie Gilmore (AUS)=14.40, 3-Johanne Defay (FRA)=12.36

2.a: 1-Carissa Moore (HAV)=17.43, 2-Lakey Peterson (EUA)=15.83, 3-Tyler Wright (AUS)=14.60

——–baterias que abriram a quarta-feira:

3.a: 1-Sally Fitzgibbons (AUS)=13.50, 2-Nikki Van Dijk (AUS)=12.04, 3-Keely Andrew (AUS)=4.10

4.a: 1-Sage Erickson (EUA)=14.40, 2-Pauline Ado (FRA)=12.74, 3-Courtney Conlogue (EUA)=11.40