Franceses vencem Longboard Pro Espinho

Alice Lemoigne (FRA) and Edouard Delpero (FRA)
Edouard Delpero e Alice Lemoigne campeões do Longboard Pro Espinho. Foto Masurel/ WSL
Os longboarders franceses Edouard Delpero e Alice Lemoigne venceram hoje o Longboard Pro Espinho, em boas ondas de 0,5m, conquistando assim os títulos europeus da modalidade deste ano.

Edouard fez as melhores ondas e melhores somas de toda a competição e demonstrou ser a maior força atual do longboard europeu ao conquistar este título pela quarta vez. O vice-campeão mundial de 2017 bateu na final o seu compatriota Benoit Carpentier, conquistando igualmente o título da prova de Espinho pelo terceiro ano consecutivo.

Click to enlarge image Edouard Delpero FRA 1979LongboardProEspinho2020Masurel.jpg
Edouard Delpero Foto Masurel/ WSL

“Este ano, por razões pessoais, queria mesmo provar que merecia este título, por isso sinto-me muito feliz por consegui-lo mais uma vez. Foi ótimo poder partilhar a final com o Benoit e ver a nova geração chegando ao pódio nesta competição, apesar de algumas ausências. Foi uma semana de ondas incríveis e para o longboard estiveram ótimas! Decididamente, um evento que estará sempre na minha memória,” afirmou Delpero.

Publicidade

Para Benoit Carpentier, este foi o melhor resultado de sempre, depois de dois anos seguidos a perder nas meias-finais, recompensado com o vice- título europeu em 2020. Nas meias-finais este ano, em terceiro lugar ex-aequo, ficaram o norte-americano Tony Silvagni e o francês Roland Lefeuvre, enquanto os italianos Federico Nesti e Filippo Marullo terminaram as suas prestações na quinta posição, nas duas baterias dos quartos de final que ainda faltavam realizar.

A final feminina foi uma repetição da do ano passado, com as francesas Alice Lemoigne e Zoe Grospiron a partilharem a última bateria da prova e o resultado a pender novamente para a atleta mais experiente. Alice conquistou o seu sexto título europeu de longboard, segundo em Espinho, deixando Zoe novamente em segundo lugar, com o vice-título. A espanhola Carlota Jauregui e a italiana Francesca Rubegni foram as terceiras classificadas.

“Foi o título mais rápido que conquistei,” comentou Lemoigne a sorrir, referindo-se ao facto de ter competido em apenas duas baterias, uma vez que não teve adversária nos quartos de final. “Mas soube muito bem conquistar mais um título e voltar à competição, sobretudo em ondas tão boas para o longboard. Agora é tempo de voltar a casa e pensar em 2021,” concluiu a campeã.

João Dantas e Raquel Bento, em quinto lugar, foram os melhores portugueses em prova na edição deste ano, tendo perdido nos quartos de final.

Click to enlarge image Alice Lemoigne FRA 1562LongboardProEspinho2020Masurel_low.jpg
Alice Lemoigne. Foto Masurel/ WSL

“Contra todas as probabilidades, conseguimos fazer e terminar a sétima edição do Espinho Surf Destination,” afirmam Gonçalo Pina e Pedro Ferreira, da organização. “Este ano fomos realmente brindados com condições de gala, mas dizem que a sorte protege os audazes… e este foi um ano em que tivemos mesmo de apostar todo o nosso know-how e espírito de equipa, de forma a conseguirmos realizar o evento, depois de seis meses de adiamentos. Esperamos voltar para o ano, novamente nas datas habituais de Março/Abril, de preferência também com uma prova do mundial de qualificação, assim o Turismo de Portugal nos apoie, da mesma forma que o Turismo do Porto e Norte nos apoiou este ano. Achamos que já provámos a importância desta prova para a promoção de Portugal lá fora e que o Espinho Surf Destination é já uma marca consolidada em todo o mundo. Cá estaremos para fazer crescer o evento, como todos nos pedem,” concluíram os responsáveis.

Click to enlarge image Benoit Carpentier FRA 1186LongboardProEspinho2020Masurel.jpg
Benoit Carpentier. Foto Masurel/ WSL

O Espinho Surf Destination regressa assim em 2021, para a sua oitava edição.

Fonte/ por surftotal.com