Filipe Toledo, Novo Rei do Rio?

Novo Rei do Rio?

Com três vitórias no Oi Rio Pro, Filipe Toledo já pode ser considerado o atleta a ser batido na etapa brasileira do circuito mundial de surfe profissional.

Depois de vencer na Barra da Tijuca em 2015, uma etapa que entrou para a história do WSL Tour devido ao enorme sucesso de público e mídia, faturar sua segunda vitória em 2018 nas potentes e tubulares ondas da Barrinha (Saquarema), Toledo repete a dose ao sagrar-se campeão novamente em Saquá, o Maracanã do Surfe.

Publicidade

Com uma campanha irrepreensível, o atleta natural de Ubatuba (SP) apresentou um surfe consistente, sólido, desde a primeira fase do evento, passando por nomes como o do campeão mundial Adriano de Souza (que voltou às competições após um longo período de recuperação, decorrente de uma lesão), do veterano e maior vencedor da história do circuito, o norte-americano Kelly Slater em ondas grandes e pesadas na Barrinha. Slater havia ganho os dois últimos embates contra o brasileiro.

Finalmente, depois de duas, já estava engasgado com o Kelly, mas estou amarradão de ter vencido. Foi emocionante”, falou Toledo após sua bateria na quarta rodada.

Nas quartas de final, o confronto foi contra o japonês Kanoa Igarashi e na semifinal, contra o português (que recebeu um convite para a etapa brasileira) Frederico Morais, chegando até a grande final, onde enfrentaria o sul-africano Jordy Smith.

“Não sei o que acontece, mas quando chego nas quartas, semifinais, alguma coisa muda internamente em mim, especialmente aqui no Brasil”, relatou o virtual campeão do campeonato em Saquarema.

Após tocar a sirene do início da última bateria na Barrinha, Filipinho foi logo para o ataque, achando duas ondas incríveis logo nos primeiros minutos, deixando seu oponente em combinação.

Com um tubo rápido, um aéreo muito alto e uma manobra na junção desgarrando a rabeta de sua prancha, o brasileiro conseguiu 9,37, que somada a uma nota 8,67 (fruto de um tailslide insano e uma forte manobra na junção) lhe conferiram o total de 18,04, permitindo que ele apenas monitorasse o restante da bateria, marcando visualmente o seu adversário a maior parte do tempo.

“Eu já tinha 18 pontos, mas ele poderia conseguir duas notas 9,0 e virar a bateria. Eu fiquei tenso até os últimos 30 segundos, mas certamente aquela minha primeira onda me deixou bem confiante e fiquei amarradão por ter vencido mais uma vez aqui em Saquarema”, disse Toledo.

Visivelmente emocionado, o tricampeão do Oi Rio Pro foi ovacionado por uma enorme plateia ao sair da água carregando a bandeira brasileira, que gritava seu nome a plenos pulmões.

Com a vitória no Brasil, Filipe assume a terceira posição no ranking geral da WSL, na luta pelo título mundial da temporada.

Já na categoria feminina, a norte-americana Sally Fitzgibbons mediu forças contra a havaiana e tricampeã mundial, Carissa Moore, e levou a melhor nas ondas da Barrinha.

Fitzgibbons também venceu pela terceira vez no estado do Rio de Janeiro, repetindo os feitos de 2012 e 2014, conquistados na Barra da Tijuca.

Sally assumiu a ponta do ranking geral feminino e Carissa assumiu a vice-liderança na briga pelo título da categoria na temporada 2019.

Oi Rio Pro 2019 | Resultado da categoria masculina

1-Filipe Toledo (BRA)
2-Jordy Smith (AFR)
3-Frederico Morais (POR)
3-Kolohe Andino (EUA)
5-Kanoa Igarashi (JAP)
5-Julian Wilson (AUS)
5-John John Florence (HAV)
5-Gabriel Medina (BRA)

Oi Rio Pro Pro 2019 | Resultado da categoria feminina

1-Sally Fitzgibbons (EUA)
2-Carissa Moore (HAV)
3-Keely Andrew (AUS)
3- Stephanie Gilmore (AUS)
5-Lakey Peterson (EUA)
5-Silvana Lima (BRA)
5-Tatiana Weston-Webb (BRA)
5-Courtney Conlogue (EUA)

Por Chris Kato | Fonte: João Carvalho-/WSL South America | Foto: WSL / Damien Poullenot

MAIS INFORMAÇÕES WWW.HURLEY.COM.BR