Big rider responde homicídio

Após provocar um acidente de carro, que terminou com a morte do sargento militar Diogo da Silva (36), o big rider Felipe Cesarano “Gordo”, foi solto na tarde da quinta-feira (17) por decisão da Justiça.

Cesarano foi preso no início da manhã após perder o controle do carro na Auto Estrada Lagoa Barra, na Zona Sul do Rio de Janeiro, invadir a pista contrária e bater de frente com o veículo dirigido pelo militar, que morreu na hora.

Segundo a polícia, Cesarano tinha dificuldade para andar e falar e, submetido a um exame de sangue, foi confirmada sua embriaguez pelo consumo de bebida alcoólica.

Publicidade

Alguns sites chegaram a noticiar que Gordo teria rido durante a perícia. Essa versão, contudo, é contestada por sua defesa.

Na decisão que mandou soltar o surfista, a Justiça disse que ele não tem antecedentes criminais, e que o homicídio foi classificado como culposo, quando não há intenção de matar.

Cesarano está proibido de dirigir, bem como acessar e frequentar casas noturnas, bares e quaisquer locais onde sejam vendidas bebidas alcoólicas para consumo imediato.

O surfista também deve comparecer mensalmente ao Cartório da 23ª Vara Criminal da Comarca da Capital e está proibido de se ausentar do local onde mora por mais de 10 dias, sem prévia autorização judicial.

O descumprimento de qualquer das medidas pode acarretar em prisão preventiva.

Morto no desastre provocado por Felipe Cesarano, Diogo da Silva tinha 36 anos, era sargento da Marinha do Brasil e estava a serviço, em viatura oficial, quando o acidente ocorreu.

Em nota oficial, a Marinha do Brasil lamentou o ocorrido e informou que está prestando todo apoio necessário referente à Assistência Social, Psicológica e Religiosa aos familiares do militar.

Felipe Cesarano

Fonte/ Por hardcore.com.br