Transmissão recebe Sinal Vermelho

Transmissão ao Vivo do BWB recebe Sinal Vermelho de última hora!

 A equipe organizadora do Prêmio Surfland Big Waves Brasil / Mormaii não quis mais aguardar pelo final da pandemia do Covid e optou por chamar a transmissão ao vivo oferecida pela Cervejaria Dado Bier neste primeiro grande swell de 2021. Para isso, em respeito à vida e às medidas de combate ao vírus impostas pelo poder público, tomou uma série de medidas preventivas, como não divulgar o local da transmissão e realiza-la em um local alternativo e de difícil acesso ao público.

Com um grande know-how no Surf de Ondas Grandes, um grupo de atletas relacionados à Big Waves Brasil (BWB) optou por apresentar ao Brasil e ao mundo um pico de Onda Grande pouco conhecido, mas com ótimo potencial: O ‘Quebra-Ossos’, uma onda que quebra em alto mar, na boca dos Molhes da Barra da Laguna/SC.

Publicidade

Atualmente a Prefeitura de Laguna tomou a bela iniciativa de bloquear o acesso de veículos automotores nos molhes, fazendo com que o acesso se dê apenas à pedestres e ciclistas, o que ajuda também a conter qualquer tipo de aglomeração nesse momento de fragilidade do Covid.

Em 2020 a onda do ‘Quebra-Ossos’ foi reconhecida nacionalmente, quando a surfista Michaela Fregonese ganhou o prêmio de maior onda surfada no Brasil por uma mulher, com uma bomba na boca da barra, clicada pelo fotógrafo Damon Michellepis. Esta foto também está concorrendo ao Prêmio Surfland Big Waves Brasil / Mormaii, na categoria de Maior Onda.

No dia anterior à transmissão, a equipe organizadora da transmissão ao vivo teve que trabalhar em uma grande logística para a instalação de energia elétrica (gerador a gasolina) e internet na ponta dos Molhes, e para isso contou com o grande apoio da Associação de Surf de Laguna (ASL) e do parceiro Preto Crippa, que mobilizaram a Prefeitura Municipal de Laguna, que já iniciou o mandato mostrando que realmente deseja apoiar e fortalecer o cenário do surf no município. Esse time também contou com o apoio das empresas Fibra Internet e Litoral Internet, que juntas conseguiram instalar uma antena na ponta dos Molhes de Laguna e fornecer incríveis 70mb de upload para a transmissão. A alimentação da equipe iria ficar por conta do tradicional restaurante do hotel Atlântico Sul.

A previsão apontava uma grande ondulação de sul, com vento no turno matinal de sábado soprando com intensidade fraca de sudoeste. No dia que antecedeu a transmissão (sexta-feira) a previsão mudou, aumentando a intensidade do vento e deixando-o apenas do quadrante sul. Durante o final da tarde e noite de sexta-feira Laguna sofreu com o vento e com a maré alta, tendo inclusive o trabalho da balsa grande paralisado.

Michaela Fregonese dropando a onda do ‘Quebra-Ossos’ em 2020, registrada pelo fotógrafo Damon Michellepis. Onda que ganhou o prêmio de maior onda surfada por uma mulher no Brasil em 2020.

No sábado, dia da transmissão ao vivo, a equipe organizadora acordou com o envio de uma mensagem as 05:15 da manhã do multiesportista e big rider local Fernando ‘Grilo’, falando que:

To aqui no Quebra-Ossos desde cedo e agora que está amanhecendo e estou conseguindo olhar o mar, não sei não, não quero desanimar vocês, eu gostaria muito que tivesse uma onda irada como no último ciclone, mas não sei não, deu um ‘marezão’ na madrugada, jogou água quase lá em cima da calçada, agora a maré ta vazando bastante, vou monitorar algumas séries para ver o que rola de maior, pra ver a condição pra vocês.

Aproximadamente cinco minutos depois o ‘Grilo’ mandou uma nova mensagem:

Não ta encaixando direito, aqui o ‘Quebra-Ossos’ é muito específico, tem que estar tudo muito encaixado, não é só o swell e o vento, mas é a bancada também, e andou dando muita chuva, e a gente ta achando que esta bancada deu uma mudada por causa dessa quantidade de chuva, com muita água da lagoa correndo para dentro do mar, por isso que a formação não ta boa. Que pena.

No meio da manhã, a equipe organizadora encontrou diversas personalidades do surf nacional nos Molhes da Barra, ansiosos por surfar essa onda pouco explorada, como o Legend Saulo Lyra, ex-campeão brasileiro e o atleta mais “idoso” das últimas competições de Ondas Grandes na praia do Cardoso, que relatou que:

Infelizmente rolou muito vento, a condição está storm, ta sobrevivência e não performance. Estamos tentando um swell, esse bateu na porta, mas estamos fazendo a nossa parte, estaremos sempre fazendo a nossa parte, e a hora que o swell estiver aqui, os guris (organizadores) estarão fazendo a parte deles também. Essa chamada já serviu para sentir novamente a adrenalina de um grande swell e da competição, e isso foi bom.

Outra personalidade que estava presente foi o ex-top mundial do WCT Marco Polo, um dos grandes destaques da histórica transmissão ao vivo de 2017 na praia do Cardoso. Marco Polo disse que: “Foi uma pena não ter rolado a transmissão. Com certeza iria ser um grande sucesso, por ser em um pico novo, alternativo, como aqui no ‘Quebra-Ossos’”.

Com o cancelamento desta transmissão, o Prêmio Surfland Big Waves Brasil / Mormaii segue com duas transmissões ao vivo em aberto, oferecidas pela Cervejaria Dado Bier. Nesta ocasião em Laguna a transmissão contou com o apoio da Associação de Surf de Laguna, Prefeitura Municipal de Laguna, Preto Crippa, Fibra Internet, Litoral Internet, Restaurante Atlântico Sul e site Waves.

Acompanhe as redes sociais da @bigwavesbrasil , o site oficial do Prêmio (www.surflandbrasil.com.br/bigwaves) e as próximas matérias na mídia para maiores informações!

O Prêmio é patrocinado pela Surfland Brasil e apresentado pela Mormaii, com copatrocínio da Cervejaria Dado Bier, que está oferecendo duas transmissões ao vivo. Apoiam o Desafio: Banco Remessa On Line; Apneia Surf Brasil; Hennek Surfboards; Session Store; Cigana’s House; Baiuka Pousada e Restaurante; Açaí Barbacuá; Site Waves; Index Krown; Protetor Solar Suntech; Advogada Flavia Correa Vieira.

A realização fica por conta da Big Waves Brasil (BWB) e da Swell Eventos. Toda a competição é homologada e supervisionada pela Federação Catarinense de Surf (FECASURF), que também fará parte da Banca Julgadora